ENDODONTIA

ENDO = DENTRO

ODONTO = DENTE

Endodontia é a especialidade que tem como objetivo a preservação do dente por meio de  prevenção, diagnóstico, prognóstico, tratamento e controle das alterações da polpa e dos  tecidos peri-radiculares. O tratamento de canal consiste na remoção da polpa dental, uma  estrutura viva que contém entre outros elementos, nervos e vasos sanguíneos, e sua  substituição por um material obturador. Conheça o dente por dentro:

 

A cárie dental é a principal via para a contaminação do canal. Bactérias que formam a cárie  podem penetrar com facilidade no interior do dente e causar doenças na polpa dental. Isso  ocorre com frequência quando a pessoa não procura o dentista para restaurar as coroas  afetadas pela cárie.

 

O sinal inicial de alterações na polpa dental no início da contaminação é a presença de  sensibilidade do dente a alimentos doces, frios ou gelados. Nesse estágio, ainda a polpa é  recuperável desde que se faça a remoção da cárie e a restauração da coroa. Outro fator  responsável por problemas de canal é o traumatismo dental, que costuma ocorrer  principalmente nas práticas esportivas.

 

Atletas que sofreram um trauma devem fazer profunda avaliação odontológica com  especialista, imediatamente após o acidente. Uma sequela, como reabsorções na raiz do  dente, pode levar à perda do mesmo. Cuidado!

 

 

De modo geral, o tratamento de canal é indicado em três situações:

a) quando a polpa dental apresentar uma inflamação irreversível, com dor espontânea (pulpite).

b) quando a polpa perde a vitalidade (polpa necrosada) e compromete a estrutura que envolve a raiz, provocando  inflamação na   membrana periodontal e do osso de modo assintomático (granulomas e cistos) ou com dor (abscesso).

c) quando o dente se torna necessário como suporte para uma prótese fixa.

 

Os sintomas mais característicos que indicam o tratamento de canal são dor espontânea, de forma latejante e que  aumenta com o calor. Nesse caso, a polpa ainda está viva, porém inflamada, e o uso de analgésicos não alivia a dor. Já  quando há morte da polpa, pode haver sensação de "dente crescido" e dor ao mastigar. Além disso, ao se abaixar a  cabeça, tem-se a sensação de que o dente "pesa". Porém, em alguns casos não há sintomas.

 

Nem sempre é necessário fazer o tratamento de canal quando o dente dói; os dentes podem ter resposta dolorosa a  qualquer estímulo fora do normal: frio e calor intenso, doce e salgado. Esses sintomas são observados em dentes  cariados, em dentes com a raiz exposta devido à retração das gengivas e em dentes submetidos a carga intensa (força  durante a mastigação). Nesses casos, removendo-se a causa, cessa a sensibilidade.

 

Um dente com tratamento de canal não é considerado um dente morto, pois embora não contenha mais a sua estrutura  viva no seu interior (a polpa), o dente é envolvido por toda a sua estrutura externa por um ligamento vivo (membrana  periodontal), permitindo que esse elemento dental continue a executar suas funções normais sem nenhum prejuízo.

 

Sempre que há uma infecção na raiz e lesão óssea visível na radiografia, significa que a polpa está infectada com  bactérias no interior do canal. Essa inflamação óssea pode permanecer por vários anos sem causar dor ou danos à saúde, pois o sistema de defesa do  nosso organismo está sendo capaz de neutralizar as toxinas liberadas pelas bactérias. Entretanto quando ocorre uma  queda na resistência orgânica, esses microrganismos podem desencadear uma inflamação aguda no osso, acompanhado  de dor e edema (inchaço), além de ocorrer penetração de bactérias na corrente sanguínea (bacteremia). Porém, em  pessoas saudáveis sem complicações de ordem sistêmicas, essas bactérias circulam por todo corpo e são eliminadas  pelas células de defesa em poucos minutos.

 

O primeiro cuidado após o tratamento de canal é restaurar o dente o mais rápido possível para evitar a fratura da coroa e a recontaminação do canal por microrganismos da saliva. Outro cuidado que se deve tomar é fazer controle clínico-radiográfico após 6 meses até o desaparecimento da lesão. Enfim, o ideal para se manter uma saúde bucal é não se esquecer do Dentista, fazendo sempre visitas a ele.

 

(51) 3036.6610

 

E-mail: odontoplan@clinicaodontoplan.com.br

Endereço:

Rua Bento Gonçalves, 1731 - Sala 112

Novo Hamburgo/RS

DESENVOLVIDO POR